quarta-feira, outubro 20, 2021

Sandálias terão vendas revertidas para Operação Amazônia Nativa

Mais notícias

Reconhecendo o papel dos povos indígenas na conservação da floresta, lucro das vendas será 100% destinado à organização indigenista

A marca de lifestyle sustentável Linus lançou no último mês, a coleção de sandálias Linus Amazônia. A coleção faz parte da linha permanente da Linus e o lucro com as vendas da sandália será 100% doado para a Operação Amazônia Nativa (OPAN), primeira organização indigenista fundada no Brasil, que atua no fortalecimento do protagonismo indígena por meio da qualificação das práticas de gestão de seus territórios e recursos naturais, de forma autônoma e sustentável.

A ideia da campanha surgiu de um relatório inédito divulgado em março deste ano pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO, em inglês), que apontou que os povos indígenas são os melhores guardiões das florestas tropicais e fundamentais para o equilíbrio do clima no planeta.

Resultado do primeiro estudo dedicado pela FAO ao papel dos povos indígenas com base em evidências científicas, o relatório evidencia que a perda de gás carbônico, responsável pelo efeito estufa e aceleração das mudanças climáticas, é infinitamente menor em terras indígenas na Amazônia.

“QUEREMOS TRAZER UM NOVO PONTO DE VISTA PARA O MÊS DA AMAZÔNIA E REFORÇAR A INTERDEPENDÊNCIA EXISTENTE ENTRE NÓS E A FLORESTA, MOSTRAR QUE NOSSO BEM ESTAR ESTÁ DIRETAMENTE LIGADO À SAÚDE DA AMAZÔNIA E QUE NÃO É POSSÍVEL ESTABELECER ESTA RELAÇÃO DE RESPEITO SEM A VALORIZAÇÃO DO CONHECIMENTO INDÍGENA E A PRESERVAÇÃO DOS SEUS DIREITOS.”

Isabela Chusid, CEO e fundadora da Linus

Sustentabilidade

A Linus possui os selos Eu Reciclo, Carbon Free, além de ser certificada pela organização internacional de direitos dos animais PETA .

Desenvolvedora da primeira sandália de plástico vegana nacional, a marca tem todos seus produtos feitos de material composto por 70% de fontes renováveis e material 100% reciclável. Além disso, a empresa coleta 200% do plástico que produz e compensa a emissão de carbono gerada a cada ano, o objetivo é se tornar carbono negativa até 2026.

Segundo Isabela Chusid, CEO e fundadora da Linus, a parceria com a OPAN foi firmada levando em conta a atuação da organização, pautada por meio do convívio e envolvimento direto no cotidiano das aldeias, que são o núcleo orientador das propostas e desenvolvimento dos projetos.


Fonte: CicloVivo           Fotos: Tadeu Rocha
- Advertisement -