terça-feira, setembro 21, 2021

Silva defende Amazônia e exalta música: ‘Importante para conscientizar’

Mais notícias

Cantor fala sobre sua relação com a sustentabilidade, frente a um ano crítico em relação ao desmatamento

Um dos nomes da nova MPB, Silva tem visto na música e na moda um modo de conscientizar o público sobre questões como a preservação ambiental, em que tem se debruçado cada vez mais. Em entrevista à GQ Brasil, o cantor fala de sua relação com a melhor amiga, a música, e os esforços em prol do meio ambiente.

“Tanto a moda quanto a música são muito importantes para conscientizar e emocionar as pessoas. São importantes para fazer a gente pensar em questões que vão nos fazer evoluir como mundo, como sociedade”, opina o artista, cansado de muitos relativizarem a defesa da Floresta Amazônica, por exemplo, que para ele deveria ser um consenso.

Em maio passado, pelo terceiro mês consecutivo, a Amazônia bateu o recorde de uma década em desmatamento. O pior março e o pior abril para o bioma desde 2012, segundo dados do Imazon (Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia). Os marcadores combinam com as palavras de Silva sobre a preservação: “Essencial, necessário, urgente… É cuidar da vida”.

Frente a esse cenário, o cantor diz que procura sempre fazer sua parte, desde atitudes pequenas, como separar o lixo e consumir marcas que têm essa preocupação com o meio ambiente, até apoiar projetos com foco na sustentabilidade. Além disso, tornou- se embaixador da Hering, empresa que tem investido no tema.

A marca de roupas, em parceria com a MOSS, empresa de tecnologia para serviços ambientais, anunciou que, neste ano, suas camisetas World básicas passaram a compensar o dobro da emissão de CO2 e de seu ciclo de vida, em iniciativa para preservar mais de 4,4 milhões de árvores somente em 2021. Silva, então, passa a representar uma marca que já estava em seu dia a dia, combinando seus ideais.

“Fiz minha primeira turnê inteira de camiseta básica da Hering, era tipo meu uniforme. Viajava com umas 10 na mala.Tenho várias, uso desde que me entendo por gente”, contou. E se o cantor já era interessado por moda, agora pretende unir esse traço com a defesa do meio ambiente.

Confira a entrevista completa:

Como é a sua relação com a moda?

Silva: Eu gosto de acompanhar a moda no dia-a-dia. Tem um tempo que não acompanho o mundo da moda de desfiles. Mas adoro ver o que as pessoas usam no cotidiano, receber dicas de amigos.

Como você tem passado esse período de pandemia e quais os planos de carreira para o futuro?

Silva: A música tem sido minha melhor amiga. Há tempos eu não tocava violão por tanto tempo e também comecei a estudar um instrumento novo do zero. Tenho composto, tenho cantado mais e tenho sido mais dedicado à minha música do que sempre talvez eu tenha sido . O meu futuro é traçado do jeito que minha música quiser, estou à serviço dela.

Você declarou recentemente que é um artista em construção. Como você enxerga essa evolução desde o início da sua carreira?

Silva: Acho que não abrir mão do poder de escolha é algo bem importante para uma carreira musical. Procuro ser fiel ao que estou sentindo no momento e por isso minha música está sempre mudando um pouco. No começo da carreira os sintetizadores, pra mim, talvez fossem mais importantes que minha voz. Hoje eu prefiro o que minha voz pode fazer e no momento estou em busca do melhor acompanhamento possível pra ela.

Você é considerado um dos grandes nomes da nova MPB. Como vê essa projeção?

Silva: Fico bem feliz com o reconhecimento, mas espero não virar o tipo de artista que, se contentando com o sucesso, pare de criar coisas interessantes. Estou aprendendo a curtir o processo.

Em seu repertório notamos referências de grandes artistas brasileiros, como você procura trazer cada vez mais brasilidade para a sua arte?

Silva: Um tempo atrás li uma entrevista do diretor Bong Joon-Ho em que ele dizia que aprendeu com Scorsese uma lição que também fez muito sentido pra mim: “o mais pessoal é o mais criativo”. Gosto muito de mergulhar nas minhas raízes e em outras diversas raízes do Brasil. Pesquiso música brasileira o tempo todo.

Um dos pilares da Hering é a música, expressão máxima da cultura brasileira. Como é estar presente em uma iniciativa que une a música e a moda, duas vertentes artísticas?

Silva: O Brasil é um país incrível apesar de tudo. Nada me orgulha mais que nossa cultura, nossa música, nossa arte, nossa moda. É afirmação do quanto somos profundos e diversos.

Como é ser embaixador da Hering e quais são os atributos da marca que têm conexão com sua essência?

Silva: Estou muito honrado em ser Embaixador da Hering. Sempre admirei a Hering por, assim como eu, ter uma identidade muito brasileira, por ser uma marca muito democrática, e que tem uma história forte de atuação em responsabilidade social. Tô muito feliz com essa parceria.


Por GQ Brasil  | Foto: Hick Duarte

- Advertisement -